15
MAR
2014

Sugestões para melhoria das condições de circulação dos passageiros na Linha do Alentejo (Casa Branca – Beja) – cartas dirigidas à REFER e CP

Posted By :
Comments : 0

CP/REFERCarta dirigida à REFER

A/C Conselho de Administração da REFER
Assunto: Sugestões para melhoria das condições de circulação dos passageiros na Linha do Alentejo (Casa Branca – Beja)

Exmos Senhores,

Actualmenteo transporte ferroviário entre a cidade de Beja e Lisboa, e vice-versa, é assegurado através de composições que implicam o transbordo de passageiros na estação de Casa Branca.

Entre Beja e Casa Branca o transporte é assegurado por automotoras e entre Casa Branca e Lisboa, através de comboio Intercidades que provém ou que se destina à cidade de Évora.

O transbordo em Casa Branca quando é no sentido Lisboa-Beja por regra não constitui problema de maior, porque a automotora da CP que faz a ligação já se encontra na linha, podendo os passageiros com destino a Alcáçovas, Vila Nova da Baronia, Alvito, Cuba e Beja, entrar de imediato na composição e ocupar os lugares que lhes pertencem.

Já no sentido oposto, os passageiros são forçados a esperar alguns minutos na plataforma à espera que o Intercidades com destino a Lisboa dê entrada na linha.

Embora o tempo de espera raramente supere os 10 minutos, deve realçar-se que a espera se faz em condições difíceis. Muitas vezes ao frio, à chuva ou debaixo de calor e sol sufocantes.

A plataforma de passageiros entre as linhas de Casa Branca destinadas ao Intercidades com destino a Évora e à automotora com destino a Beja, não oferece qualquer condição para ali se permanecer num grande número de viagens sobretudo de manhã e à noite de inverno e durante o dia de verão.

No sentido Casa Branca – Beja tem ocorrido também, com alguma frequência, que passageiros, assim que escurece, não saem nas estações nas quais pretendiam sair, e acabam por só sair na estação seguinte, tendo de regressar de táxi, com custos elevados daí decorrentes, ao destino pretendido. Esse facto sucede sobretudo na Estação de Vila Nova da Baronia em que passageiros de idade mais avançada acabam por se aperceber que não saíram na estação correta quando já estão em Alvito ou em Cuba.
Nos comboios que circulam, sobretudo de inverno, em períodos de maior ou de absoluta escuridão, esta situação acaba por ser mais comum do que seria desejável.

No sentido de melhorar – e ultrapassar – estas situações, diagnosticadas e referenciadas, sugere o PS/Beja à REFER que possa avaliar as seguintes situações da sua competência:

  1. Estação de Casa Branca – Avançar para a colocação/construção de abrigos/resguardos na plataforma de ligação Intercidades/Automotora, de modo a proteger os passageiros de sol, chuva e frio, proporcionando condições que actualmente não existem para quem está sujeito a transbordo. Os existentes são pequenos e ficam situados nas extremidades dos pontos de paragem das composições. Interessaria cobrir o espaço entre as escadas de acesso à Estação e o resguardo existente actualmente
  2. Estação de Vila Nova da Baronia e seguintes até Beja – Dotá-las de melhor iluminação e sinalização de modo a que, em períodos nocturnos, seja sempre perfeitamente visível da composição, onde a mesma está parada (Estação ou Apeadeiro), independentemente do lado da composição em que viagem os passageiros. Recomenda-se reforçar a sinalização com a identificação das Estações, dos dois lados da via, e iluminar as mesas de forma que seja bem visível essa identificação aos passageiros que seguem no interior das composições;
  3. Finalmente o PS/Beja considera que a REFER deve insistir na electrificação do troço de 64 kms de via entre Casa Branca e Beja, dotando assim a capital do Baixo-Alentejo de condições iguais a outras capitais de distrito servidas pela empresa.

Nesse sentido, deverá insistir permanentemente junto da tutela, sublinhado a importância estratégica dessa medida e colocando Beja em pé de igualdade com outras localidades da sua dimensão, dotando a cidade de uma ferrovia moderna e de futuro.
Por uma coesão territorial mais forte, com iguais possibilidades de desenvolvimento e de aproveitamento de recursos e de potencialidades locais, ao serviço do país.

Com os melhores cumprimentos,
Esperando que estas sugestões construtivas sejam superiormente analisadas e consideradas,

Ao Vosso dispor,
Pela Concelhia de Beja do Partido Socialista,

O Presidente,
Paulo Jorge Arsénio

 

Nota: Era nossa intenção entregar esta carta presencialmente na sede da empresa e deslocámos, dia 15, um conjunto de pessoas a Lisboa para o efeito, mas na impossibilidade de o fazer, por ser um sábado, remetemo-la via correio azul, estando certos que merecerá a mesma atenção da Vossa parte.

Lisboa, 15 Março de 2014

 

Conheça igualmente a carta dirigida à CP

pdf

Carta dirigida à CP